Completando o post de ontem...

.. bem, de certa forma!

Acontece que, hoje, eu estava ouvindo um podcast em que se discutia a questão da gravação de programas exibidos pela TV digital. A entrevistada era uma pessoa de alto cargo de uma prestigiada emissora de TV de alcance nacional.
Ao se referir aos programas de TV, ela usou sempre o termo "produto".
Sim: jornais, novelas, filmes, shows, jogos, corridas. "Produtos". Apenas isso. "Produtos" que, de acordo com ela, não podem ser gravados e distribuídos com qualidade digital pois perderiam o seu valor de mercado. Termos dela.
Me lembrei do que escrevi aqui ontem (o post anterior), da confusão por que o Ira! e o Engenheiros do Hawaii passaram por causa de registro de nome da banda!
Pois muito bem: muita gente nas gravadoras pensa como a supracitada moça da TV: música é produto. Tem que dar lucro! Tem que ser registrada, não pode ser pirateada, para não perder o seu "valor".
Triste, não?

Força, sempre!

Comentários

Postagens mais visitadas